12 maneiras de fazer limpeza energética

Mudou para uma casa nova? Começou em um emprego num escritório novo? Abriu uma nova loja? Ou mesmo, se o clima tá tenso no seu local habitual… Cuidar do equilíbrio energético dos lugares em que convivemos é tão importante quanto zelar pela harmonia dos seus corpos. Por isso, aprenda 12 maneiras de fazer limpeza energética de ambientes com elementos magísticos ou rituais neste post.

Cristais, ametista, quartzo verde, palo santo, maço de ervas secas, incenso.
Foto de Karolina Grabowska (Pexels).

Terra


1. Faxina e organização


É isso mesmo que você está lendo… A limpeza energética começa pelo plano físico. Pensando no princípio hermético da Correspondência, quando um ambiente está sujo ou quando acumulamos objetos, isso também reverbera nos outros planos de manifestação em forma de impurezas e estagnação. Portanto, vamos começar fazendo a cama e dobrando e guardando aquela pilha de roupas aí do lado!

   

Além disso, até a mais mundana faxina pode ser feita de forma ritualística. Por exemplo, varrer de dentro para fora, visualizando a eliminação de energias densas. Melhor ainda se for com uma vassoura de palha.


Empolgou e vai passar pano? Dá uma olhada nos itens do elemento água aí embaixo.


2. Pedras, rochas e cristais


Em geral, as pedras pretas são usadas para descarrego por serem absorvedoras. Porém, é importante ir estudando sobre as formações, estruturas cristalinas e propriedades mágicas de cada uma para aprender como otimizar o uso das pedras e utilizá-las com segurança. Algumas delas podem passar a vibrar energias densas se não forem descarregadas (ágata e ônix negras, por exemplo) ou simplesmente parar de atuar como absorvedoras se estiverem saturadas, como é o caso da turmalina negra (que não vai vibrar negativamente, mas vai parar de sugar quando estiver “cheia”). A formação vulcânica da obsidiana resulta em uma atuação mais caótica. A cianita negra – também conhecida como vassourinha de bruxa – é direcionadora e pode ser usada para espargir águas, por exemplo (como o padre faz com aquele bastão quando vai benzer alguma coisa).


Mas, não se esqueça de um dos cristais mais comuns, usado nas práticas populares para desagregar energias negativas: sal grosso. Lembre-se de que o sal vai “zerar” as energias, então é sempre bom por alguma coisa no lugar – com alguma prática de harmonização com outros cristais ou ervas, por exemplo – ou usar o carvão como elemento filtrante ao utilizar o sal grosso.


3. Afoxés


As tradições de matriz africana chamam de afoxé os feitiços em pó. Existe pó para todo tipo de intuito, inclusive para descarrego. Podem ser usados juntos com magia do sopro (ver abaixo) ou simplesmente espalhados. Quem nunca saiu de um terreiro com um pouquinho de pó de Pemba de Descarrego para soprar em casa?


Água


4. Águas naturais e consagradas


As águas naturais carregam o poder elemental bruto. Cada tipo de água tem seus propósitos e simbolismos em cada tradição, sendo as mais indicadas para descarrego e desagregação de energias densas a água do mar e a água das chuvas. Também é possível usar água benta – a da igreja mesmo – e fazer água lustral, um tipo de água consagrada que dura uma lunação.


As águas desse item e do próximo podem ser usadas para passar pano mesmo, no chão ou em superfícies. Ou se pode espargir pelo ambiente com um borrifador, ou com uma tigela e um maço de ervas, com uma pedra, algum outro instrumento mágico ou com os dedos mesmo.


5. Água com ervas


Os filhos-de-santo das antigas chamavam de “água de cheiro”. Segue a mesma lógica de preparar banhos de ervas, por infusão, cocção ou maceração. Também é possível usas gotas de óleos essenciais, tinturas e alcolaturas – que são formas de extrair as essências das ervas em álcool – e até perfume, com o famoso perfume de alfazema.


Fogo


6. Chama eterna e outros elementos


O fogo é purificador e transmutador, a prática de pular a fogueira nas festas juninas tem uma origem em rituais pagãos de purificação pelo fogo. Existem rituais que usam fogueiras, pólvora e enxofre para descarrego. Mas não vou me aprofundar nisso, já que NINGUÉM VAI usar pólvora em casa, combinado?


A prática mais simples é cuidar da chama eterna, a chama do lar. Ou a famosa vela de anjo-da-guarda que os guias costumam mandar deixar sempre acessa, quando você se consulta em um terreiro. Só um adendo, se o clima estiver muito pesado, pode ser que nem seja uma boa trabalhar com velas antes de usar outros recursos.


Ar


7. Incensos e defumação


Nem vou me dar ao trabalho de descrever esse item, porque o Eduardo Regis já publicou um artigo excelente sobre fumigações aqui no Espelho, então leia!


Minha única dica é que esses turíbulos de alumínio que a gente compra por aí, não são lá muito resistentes. Por isso, vale a pena incorporar o artesão e fazer o seu próprio turíbulo perfurando uma latinha de achocolatado e adaptando uma corrente de samambaia. Outra dica imperdível é fazer o curso de fabricação de incensos com a Pri Martinelli.


8. Bate-folhas


Esse método é muito usado pelas benzedeiras, xamãs, em terreiros e nas tradições de diversos povos originários no mundo todo. Você já deve ter visto ou passado por um bate-folhas em que o operador ou médium usa um maço de ervas frescas para limpar o consulente. Pois! A mesma técnica funciona para ambientes também. Com dois maços recheados de ervas – de preferência, as de descarrego – é só sair literalmente batendo as folhas nas paredes e móveis em sentido anti-horário em todos os cômodos da casa e sair para descartar as ervas na sequência. Não precisa espancar a parede até deixar marcas, subir em escada nem sair derrubando todos os objetos como se fosse uma devassa da Polícia Federal. Vai com calma, como as benzedeiras mesmo.


9. Magia de sopro


Mesmo que nunca pisou num terreiro tem a imagem mental de um guia trabalhando com tabaco: cigarros, charutos, cachimbo. O fumo e a fumaça são elementos desagregadores de energias densas por si só, mas isso é reforçado com a intenção por meio da magia do sopro.


Outros


10. Pontos cantados, mantras e música


Seguindo a lógica do princípio hermético da Vibração, os mantras, a música e os pontos cantados podem alterar o padrão vibracional de um ambiente. Elevando-se a frequência, você acaba afastando as energias e entidades que estejam vibrando em um padrão mais denso, por afinidade.


Só trata de escolher uma boa música – no sentido de ter um padrão vibracional elevado mesmo – para não obter o efeito contrário!


11. Rituais de banimento


Também não vou me alongar muito da descrição deste item, já que o Edu também já publicou uma descrição detalhada do Ritual menor do Pentagrama. Limito-me a compartilhar um trechinho de uma verdadeira aula que o Caio Ribeiro Chagas deu no bate-papo de um dos grupos de estudo do Projeto Mayhem no Telegram:


Um dos efeitos do RmP é tirar o excesso de Terra e equilibrar. Ele te sutiliza, ao mesmo tempo em que – por meio dos nomes de poder – expulsa o que for denso de você e do ambiente. Daí, com os arcanjos, delimita o tipo de influência que tem permissão para passar.


12. Orações e sortilégios


Também conseguimos elevar o padrão vibracional de um lugar com preces e orações. Seja uma fórmula conhecida, como a oração de São Bento ou o salmo 144. Seja uma prece familiar ou ligada tradição que você pratica. Ou mesmo um sortilégio imbuído de toda a sua vontade ou uma prece pessoal dita com intenção e coração.


Mais que 12 maneiras de fazer limpeza energética


Conhece mais algum jeito de descarregar um ambiente, além dessas 12 maneiras de fazer limpeza energética? Compartilha a sua prática com a gente aqui nos comentários!

 
Sobre o autor

Kuca Moraes é fotógrafo, estrategista de marketing digital e aprendiz de feiticeiro.