Meu Despertador

É estranho perceber que você veio pra esse mundo pra andar na contramão.


Enquanto o planeta expurga e reclama por suas vias aéreas pandêmicas, guerras mal declaradas, choros de enchente e catarses de vulcão, você se pega ali; andando na contramão.


Enquanto os sistemas todos respiram por aparelhos, enquanto tem mais gente na rua brigando por qualquer tipo de manutenção, por dentro; contramão.


O que eu vejo do meu inverso é que num solo deserto, num cenário de morte e de destruição, eu só consigo pensar no primeiro ar que vai entrar no meu pulmão.


Eu só penso é em nascer, em nascer de verdade, na minha segunda chance de respirar uma outra idade.


Eu só penso na aventura que vai ser, no alívio, no amor, quando finalmente eu esgotar ou desistir da minha dor.


O que será que a Terra quer com essa balançada de agora? Será que o plano é me acordar porque já passou da hora?


Do jeito que tá indo só me falta é vir tremor, mas se o terremoto chega em casa vai ser meu despertador.