27 de out de 2014

Espelho, espelho meu [1]

Aqueles que me acompanham pelo Facebook já estão sabendo que planejo ministrar um workshop sobre a Magia da Lua, que deve ocorrer agora em Novembro. Neste workshop pretendo abordar temas que geralmente escapam à percepção até mesmo dos adeptos da Lua como Deusa, dando a profundidade que o assunto merece. Vou falar sobre Marés e Ciclos de Poder, A Agricultura e sua conexão lunar (plantios e colheitas, por exemplo, como funciona a influência da lua). A Lua nos signos (finalmente para o pessoal entender o que é o raio da Lua no mapa natal), as Mansões Lunares e seus rituais (sim, como e para quê trabalhar as mansões). Vou trazer também um Lunário Perpétuo para que possamos analisar seu conteúdo e entender como o povo antigamente planejava suas vidas, vamos passar pelos horários planetários - e especificamente as horas planetárias noturnas e finalmente, o tópico mais esperado e que me deu vontade de publicar um teaser aqui: Espelhos Mágicos.

Como este blog já carrega um espelho em seu nome, nada mais justo que eu publique aqui uma breve introdução do material que trarei no curso, que visa não só dar um fundo histórico para embasar este aprendizado, mas também ensinar a confeccionar e usar um espelho mágico. Então vamos à esta introdução:

Hoje em dia, em nosso mundo moderno e industrializado, ninguém pensa no espelho como um objeto mágico. Eles são tão presentes em nosso dia a dia que são tratados como objetos comuns. Mas quem se lembra um pouco de sua infância deve ter na memória aquele dia frente a um espelho, onde ao fixar os olhos no reflexo, de súbito ser tomado por alguma inquietação no coração, com a sensação de estar diante de algo estranho. Quem nunca estranhou sua própria imagem mesmo com toda a sua familiaridade? Quem nunca teve um senso de perigo ou estranhamento ao perceber que há algo ali que “não pertence” ao que vemos deste lado?

Espelhos mágicos se mantêm misteriosos e desconhecidos mesmo dentre os círculos ocultistas. As pessoas preferem o uso do Tarot, runas, cristais ou outras ferramentas mágicas. Isso porque, embora espelhos possuam uma grande dignidade e eficiência dentro do arsenal mágico, eles têm uma aparência e reputação sinistras. Há, mesmo dentre os estudiosos das artes mágicas, aqueles que sentem algum temor em lidar com espelhos e suas imensas potências. Neste curso aprenderemos exatamente quais são os riscos de lidar com espelhos, bem como as formas mais seguras de lidar com eles. Mas antes disso, vamos entender bem para o que ele serve.

O espelho mágico é um portal que pode ser usado para a comunicação com espíritos e inteligências, como auxiliar nas projeções astrais e como forma de previsão. É uma ferramenta que desafia tempo e espaço, não encontrando limitações a não ser do seu próprio confinamento em uma simples moldura, aqui e agora, em nossas mãos. Da mesma forma, o espelho mágico pode ser a simples reflexão do seu subconsciente – o fluxo incessante de imagens e idéias puras, brutas e sem filtro que reside sob a nossa mente consciente, onde metade de toda magia acontece.

É possível também ligar o espelho a um espírito em particular – ao invés do uso de um vaso como é de prática comum entre os praticantes experientes do consórcio espiritual. Antigamente, a estes espíritos dava-se o nome de espíritos familiares, com os quais alegadamente as bruxas mantinham contato para que lhes aconselhassem ou que as confortassem, ou que dissessem sobre coisas que aconteciam em grandes distâncias, ou ainda que lhes mostrassem o futuro.

O preparo físico do espelho mágico – ou espelho negro como é também conhecido - é somente uma parte do seu preparo total: apenas 10% são manifestos no mundo sensorial e 90% ocultos sob a superfície do subconsciente.

A técnica de vidência com o espelho negro é chamada de “scrying”. A palavra scry é uma forma curta de “descry”, “ver” ou “perceber”.


O espelho não age só como uma janela para olharmos através, mas como um portal para lugares distantes e estranhos, tanto aqui na Terra como um planos sutis. Como “portal ou janela”, seu operador deve aprender a abri-las e também a fechá-las para se guardar de visitantes indesejados. Não só as imagens surgem ali, mas com prática, vozes podem ser percebidas através do vidro, e fluxos energéticos podem ser ativamente projetados com o uso de chaves simbólicas e congresso espiritual.

------
Gostaram? Isso é só a introdução. Tem muito mais material, muita história, o passo a passo de tudo. Você não precisa ser um iniciado em nada para participar. Nem ter experiência no assunto.

Os interessados em aprender sobre este e os outros temas relacionados à Lua e Espelhos Mágicos devem ligar para (11) 5589-5375 ou 5589-9368. O workshop A Magia da Lua deve acontecer nos dias 29 e 30/11, sábado e domingo, no Centercom Terapias Complementares (próximo ao metrô São Judas). Prevejo que as vagas serão poucas, então reserve já a sua. 




6 de out de 2014

A Via

"Na época em que a vida na terra era plena,
ninguém dava nenhuma atenção aos homens dignos,
nem selecionava os homens capazes.
Os soberanos eram apenas os galhos mais altos das árvores,
e o povo era como cervos na floresta.
Eram honestos e corretos, sem imaginar
que estavam cumprindo com o seu dever.
Amavam-se mutuamente, e não sabiam que isto
se chamava amor ao próximo.
Não enganavam a ninguém, e, no entanto,
não sabiam ser homens de confiança.
Podia-se contar com eles, e
ignoravam que isto fosse a boa fé.
Viviam juntos livremente, dando e recebendo,
e não sabiam que eram homens de bom coração.
Por este motivo, seus feitos não foram narrados.
Não se constituíram em história."
A Via de Chuang Tzu