12 de dez de 2014

Hino Órfico a Natureza


Ó Natureza, deusa mãe de todos, mãe de muitos engenhos, 
celeste, anciã soberana, nume que muito engendra; 
a tudo subjuga sem ser subjugada, governadora oniluzente, 
onipotente, † suprema entre todos. 
Imperecível, primogênita legendária, glorificada,  (5)
da noite e constelada, luzidia difícil de conter,
bem torneado rastro silente no girar dos ciclos,
pura magistrada dos Deuses, perfeita e imperfeita,
partilhada por todos, só tu de nada partilhas,
pai de si mesma e sem pai, amável, muito alegre, magna, (10)
bem flórea tecelã, amiga, repleta de misturas, hábil,
hegêmone, senhora vital, donzela toda nutriz,
a autossuficiente Justiça [Dike]e a Persuasão de muitos nomes das Graças,
Guardiã etérea, terrestre e marinha,
acerba aos vis, doce aos que te obedecem, (15)
em tudo sábia, em tudo dadivosa, nutriente rainha de tudo;
fruticosa, árbitra opima dos maturescentes frutos.
Tu és o pai de tudo, e a mãe; és  nutriente e nutriz,
rápida parteira, venturosa de muitas sementes, o ímpeto das Estações [Horas],
artificiosa, plasmadora, nume dos mares que muito engendra. (20)
Perpétua e movedora, muito experienciada e prudente, 
turbilhonando em semprefluentes remoinhos o seu ágil fluir,
toda fluida, circular, sempre alternante forma,
preciosa de belo trono, só tu distinta e perfeita,
rainha cetrada das alturas, tonitruante poderosa, (25)
imperturbável que a tudo subjuga, destinada sina, ignívoma,
vida perpétua e providente imortal:
Tu és tudo isso, soberana, pois apenas tu fazes tudo!
Eia, deusa, suplico-te em hora bem afortunada:
traz  saudável paz, e o crescimento de todas as coisas. (30)


[Tradução: Rafael Brunhara - http://primeiros-escritos.blogspot.com.br]

Nenhum comentário: