6 de dez de 2014

Hino Órfico a Cronos [Saturno]


Vou postar aqui dois hinos para Saturno.
O primeiro é bem específico para talismãs [e não é Órfico, mas baseada em rituais astrológicos bem conhecidos entre praticantes de Magia Astrológica], e o segundo, órfico e de uso mais generalizado.

Hino I

Oh Tu, Senhor, cujo nome é poderoso, cuja aparência é formidável, cujo pneuma é elevado, oh Tu, Senhor Saturno, que és frio, seco, escuro, fazedor do bem e do mal, justo no amor, defensor dos juramentos, amigo, único, incomparável, rico em compreensão, impenetrável, defensor das promessas, cansado, indolente, que mantém a si mesmo em tribulação e tristeza, Tu que se retira dos amigos e da alegria, velho em anos, rico em astúcia, experiente, ladino, enganador, inteligente, compreensivo, tu que traz o acréscimo e que destrói, cujo desfavor traz miséria e cujo favor, felicidade: Eu lhe imploro, pai primevo, por suas grandes boas ações e nobres atributos, permita que este talismã acabe com a procrastinação, com o cansaço, os bloqueios, obstáculos e sistemas de crenças insalubres e traga imediata abundância, prosperidade e sucesso em todos os empreendimentos. Conceda para que ele me confira a solenidade necessária, a sobriedade, a aceitação, a obediência, a diligência, a disciplina, a estrutura, a estabilidade, a compreensão, o conhecimento de mim mesmo e dos meus limites, e todas as outras qualidades, características, habilidades, poderes e bênçãos de Saturno que preciso na minha vida, esfera, e arredores. Tu que estás no Sétimo Céu, eu vos invoco por todos os seus nomes: em árabe, Zohal [Zuhal], em latim, Saturnus, em persa, Keyhven [Kewan], em romano, Coronez [Kronos], em grego, Hacoronoz [Kronos], em sânscrito, Sacas [Sanasara], por todos os Teus nomes invoco-te. 


Hino II

Viçoso sempre, pai dos venturosos deuses e dos homens,
astuciador límpido de magna força, bravo Titã,
tu mesmo, que a tudo consomes e novamente fazes crescer,
inquebráveis os grilhões que deténs no cosmo sem fim,
eterno Cronos pai de todos, Cronos de variado falar, (5)
rebento da Terra [Gaia] e do Céu[Urano]constelado,
és a geração, o crescimento e o fim, marido de Reia, insigne Prometeu,
que habitas em todas as partes do cosmo, rei ancestral,
de curvo pensar, o melhor! Atendendo a minha súplice voz,
envias um fim de vida bem afortunado, para sempre impecável. (10)


[Tradução: Rafael Brunhara - http://primeiros-escritos.blogspot.com.br]

Nenhum comentário: