14 de set de 2014

Eco-hipócritas

Aqui em casa...
Sempre tem alguém para se lembrar de compartilhar vídeos sobre o nosso planeta. Hoje eu vi mais um dos muitos que andam circulando por aí. 

Tem coisas boas que vêm com estes vídeos. Eles conseguem tocar algumas pessoas e hoje vemos coletivos em todo o Brasil e no mundo que são criados para debater e combater a destruição da natureza, para proteger animais e florestas. Esta é uma tendência no mundo todo e tem ficado cada vez mais presente nos diálogos e interações sociais. Inclusive no marketing.

O clima está mudado. Isto é fato. E não dá mais para varrer para debaixo do tapete.

Quem mora na cidade de São Paulo pode notar a esta alteração no clima por conta da falta de água, pelo rodízio de água que já acontece em alguns lugares mesmo que o fato seja negado pelas “autoridades”, que estão mais preocupadas com eleições do que o caos que vai rolar se a chuva não cair torrencialmente por um bom tempo.

Aqui no sítio essa mudança fica ainda mais evidente. Girinos que só surgem no pico do verão já estão pintando na lagoa, árvores que estão com flores e frutos maduros ao mesmo tempo (para quem não sabe há um tempo para flores e outro para frutos), e várias frutas fora da estação. As nascentes e poços estão secando, e vizinhos estão quebrando o pau para dividirem a água que uma vez foi abundante aqui no sul de Minas. Quase não houve aquele friozinho típico de serra mineira neste ano, e agora o calorão já é tão intenso quanto no pico do verão – e a primavera ainda nem chegou.

Estou vendo isso tudo, mas eu não vejo as pessoas pararem de comprar. Já falam do novo Iphone 6 sem lembrarem que a Apple é uma das empresas mais adeptas da Obsolescência Programada (para quem não sabe o que é isso, dá uma olhada neste LINK: ). Eu conheço gente que tem - só para si - PC, tablet, notebook e celular – todos os equipamentos para não perder nada nas redes. Exibem as fotos de carros, roupas, suas passadas em restaurantes da moda, e ao mesmo tempo reclamam no final do mês porque o salário mal deu pra pagar o mínimo do cartão de crédito. Quando este pessoal olha fotos da natureza, são os primeiros a falar “ah, eu queria tanto morar assim”.

Mas será mesmo?

Será que trocariam o conforto do ar condicionado? Que se limitariam a modelos de carros que agüentam estrada de terra e pedras? Que agüentariam as roupas manchadas de barro, os insetos e os bichos que chegam perto? Será que limitariam suas idas às compras? Será que trocariam seus estilos de vida pela simplicidade? Que trocariam a inovação pela durabilidade?

Lembrei-me da ridícula propaganda da Volkswagen de 2005, quando o pessoal do marketing ainda estava viajando e não queria fazer tudo parecer ecologicamente correto como hoje em dia (só que não). O pior é que tinha gente que concordava naquela época, e ainda hoje, com tudo isso que está rolando, ainda continua concordando.




Agora aqui vai um espaço pra falar da hipocrisia: está todo mundo ocupado em “parecer ecológico”, sem achar que isso tudo envolve um sacrifício desta busca desenfreada por conforto a todo custo, um compromisso em comprar coisas que durem mais tempo, um compromisso de simplificar a vida para salvar o planeta com atitudes que todos nós podemos tomar, mesmo vivendo nas grandes cidades. Não adianta apontar o dedo para a presidAnta e os outros políticos. E acredite, nenhum deles vai salvar a pátria, nem a maluca da Marina. Esta responsabilidade é nossa.